28 agosto, 2006

"O Algarve é só um, todavia..."

Este é o título para as 3 páginas da crónica de viagem onde o Domingos de Azevedo conta a aventura pelo barrocal e pela serra algarvia. Publicada na Revista Viajar, pode ser lida aqui.

PASSEIO DE JORNALISTAS no Interior algarvio - Revista VIAJAR
Aí se diz que:
Se o litoral tornou o Algarve conhecido internacionalmente, palco turístico de Portugal, é o interior que dá alma ao Algarve.
Ler <mais:

E o sol que fazia em Paderne...???

PASSEIO DE JORNALISTAS - Domingos de Azevedo e Nuno Rebocho

23 agosto, 2006

PASSEIO DE JORNALISTAS
ao barrocal e à serra algarvia (12)

E “porque de livro fechado
não sai letrado”...

IR PARA O PRINCÍPIO


PASSEIO DE JORNALISTAS -Almoço no Moiras EncantadasO Passeio de Jornalistas estava quase a chegar ao fim. Paderne era o último ponto da visita. O almoço no "Moiras Encantadas" marcava as despedidas. Com provérbios, trava-línguas, acordeãos e outros ricos sabores locais...

“Os Provérbios estão Vivos em Portugal” é o título de uma obra quePASSEIO DE JORNALISTAS - Ruivinho Brasão reúne mais de 6 mil provérbios, e resultou de um trabalho de recolha em terras de Paderne. José Ruivinho Brasão - homem de saber que gosta de investigar a riqueza cultural linguística - aproveitou o momento para nos apresentar o seu livro seu livro (fez mesmo algumas vendas!!!) e para revelar que outros estão não forja para dar a conhecer o resultado de outros trabalhos de pesquisa.

Com ele vieram as “Moças nagragadas”, um grupo de Paderne que foi buscar o nome a uma expressão que consagra a rebeldia das PASSEIO DE JORNALISTAS - Moças nagragadasraparigas quando infringiam regras familiares. Como, por exemplo, se elas faltavam à hora de jantar haveriam de ouvir: “Onde andou, sua nagragada!” - seria mais ou menos esta a ilustração do sentido da palavra.
PASSEIO DE JORNALISTAS - Moças nagragadasNa verdade, este grupo de mulheres, experientes, deu-nos a conhecer “trava-línguas”, provérbios, lenga-lengas, e canções populares. Trajando num estilo anos 30 - uma indumentária cuidadosamente estudada por Esmeralda Brazão, também integrante do grupo.

Um trio de jovens (Ricardo, João e Nelson) tocadores de acordeão, titulares de várias distinções e vencedores de vários concursos e PASSEIO DE JORNALISTAS - Acordeãooutro títulos competitivos, mostraram que a música tradicional instrumental se vai recriando com novos arranjos, novas formações e novas formas de estar.

Foi um momento cultural particularmente bonito, no restaurante de PASSEIO DE JORNALISTAS - Moças nagragadasRogélio Guerridas, também muito sugestivo e de comida de qualidade.
Espero que este exemplo (inclusive de levar a música local a acompanhar almoços e jantares de gente de fora que visita aquele Algarve diferente) possa intensificar-se e faça “costume” nos demais.

PS: Naturalmente que estas são notas pessoais.
Existe vasta informação documentada que as entidades oficiais, nomeadamente a Região de Turismo, colocam à disposição.

Fotos: Antunes Amor (direitos reservados)


21 agosto, 2006

PASSEIO DE JORNALISTAS
ao barrocal e à serra algarvia (11)

Começou por ser um jornal feminino,
o mais antigo em Portugal...

IR PARA O PRINCÍPIO


PASSEIO DE JORNALISTAS - Jornal a Avezinha

Em Paderne, observámos a persistência do jornal a Avezinha e a vitalidade do seu Director, Arménio Martins, um homem que coloca a sua energia ao serviço de mais de uma dezena de associações PASSEIO DE JORNALISTAS - Jornal a Avezinha de carácter institucional, social e desportivo.

Fotos: Antunes Amor
(direitos reservados)


04 agosto, 2006

PASSEIO DE JORNALISTAS
ao barrocal e à serra algarvia (9)

… ai se os árabes do castelo
falassem…

IR PARA O PRINCÍPIO


PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne

Vestígio da presença almóada em Portugal, nos séculos XII e XIII, o Castelo de Paderne, está muito destruído.

PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne
PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne

No percurso de autocarro desde a estrada nacional até até às imediações do castelo tive a sensação da secura e da dureza da interioridade. O caminho é longo. Vêem-se os campos sem gente, claro! O meu país europeu a várias velocidades... e autoestrada logo ali ao lado!

PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne

Encerrado para uma intervenção que tardou muitos anos, o Castelo de Paderne foi aberto propositadamente para que o grupo de jornalistas o pudesse visitar.

PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne

As obras de recuperação actualmente em curso exigem cuidados especiais que os protejam de actos de vandalismo, como destacou Natércia Magalhães, técnica do IPAR, que acompanhada pelo arqueólogo Luís Campos nos guiou pelo interior da velha fortaleza almóada.

PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne
PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne

PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne
Com eles descobrimos os trabalhos de escavação e os segredos da construção em taipa que está a ser usada nos trabalhos de recuperação.

As obras são lentas e morosas. Estão integradas num projecto de cooperação europeia da ordem dos 500 milhões de euros.

Explicam-nos que em Espanha o trabalho de recuperação e preservação dos vestígios da presença árabe na Península está bem mais avançada…

É sempre a mesma coisa...

PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne
PASSEIO DE JORNALISTAS - Castelo de Paderne

Fotos: Antunes Amor (direitos reservados)

Ver continuação