02 outubro, 2005

Se alguém fôr capaz...

Permitam-me que os incomode para falar de uma coisa que sei... e gosto! Permitam-me até que fale de gozo e de prazer. Neste caso, feitos passeios e história desses passeios. Que... de tal se trata: falo do Passeio de Jornalistas.

Nasceu quase por brincadeira... como às vezes nascem as coisas sérias! Depois transformou-se numa das mais importantes acções de promoção do Turismo Interno: pela capacidade que demonstrou de concitar as atenções dos profissionais da Comunicação Social, pelo que representou de espaço e tempo mobilizados no universo dos Média, pelo que significou de atenção às terras e às gentes normalmente arredadas das rotas da chamada
Grande Informação.

Suscitar a deslocação de uma vintena e meia de jornalistas a um qualquer complexo turístico algarvio é coisa fácil. Fazê-los deslumbrar com a paisagem de Barca de Alva, a posta mirandesa, o modo de matar o porco em Fronteira ou a arte da pesca na Costa Vicentina... isso já não é corriqueiro: exige jornalistas que conservem a capacidade de se deslumbrar, jornalistas que conservem a capacidade de ver e de... contar!

Esse foi o trunfo do Passeio de Jornalistas . Acabámos' por reunir alguns dos melhores' profissionais da Comunicação Social deste país. Com eles partimos estrada fora, de dois em dois meses, rumo a uma qualquer terra, rumo a muitas histórias... e a muitas páginas para as relatar!

Foram oito anos de viagens (entre 1988 e 1996). E o hiato, que desde então se verificou na sua organização, veio comprovar que nada mais existia de semelhante àquela realização. Com uma ponta de (merecido) orgulho escrevíamos já há 10 anos:

“se alguém pretender criar qualquer coisa que parecida seja, que o faça. Se for capaz... e conseguir!”

Os tempos deram-nos razão. E, todos estes anos transcorridos – como ninguém mais avançou – eis-nos de novo de regresso a esse desafio de passear, de conviver e de contar os Passeios.

2 comentários:

oasis dossonhos disse...

é um belíssimo projecto. Gandabraço
Luís

Rui Dias José disse...

Obrigado meu caro.
Vamos ver se nos sobram coragem energia e imaginação para o ir concretizando.
E, já agora, saber se conseguiremos os apoios que permitam a sequência das acções.
RDJ